7 dicas que ninguém  te conta sobre a viagem pra Disney! | Dani Falqueiro

Olá meninos, meninas.. mundo! Tudo bem com vocês?

Cara, estou muito empolgada pra mostrar esse vídeo contando as 7 coisas que ninguém te conta sobre a viagem pra Disney! 

Quando eu fiquei sabendo da possibilidade de talvez ir pra Disney eu fiz o que todo ser humano faria: pesquisei tudo sobre a Disney. Assim ficaria mais preparada pro que me esperava, pegaria algumas dicas e chegaria lá mais confiante, digamos assim. Achei muitas dicas legais em vários blogs, revistas e até mesmo em sites de turismo. Porém ao chegar lá a realidade era um pouco diferente e nos deparamos em algumas situações que poderiam ter sido evitadas se soubéssemos antes. Tudo o que passamos por lá foi um ótimo aprendizado e obviamente que eu tinha que vir dividir com vocês, os melhores leitores ever! Sei que o vídeo ficou um pouquinho longo mas eu acho que vale a pena dar um olhada em dicas únicas que ninguém te conta sobre a viagem para a Disney.

Bora assistir o vídeo:

As 7 dicas:

1ª dica – Meios de transpote

Antes de mais nada, aqui vai um bônus (que é um pouco obvio mas vale a pena reforçar): se vocês forem alugar um carro fiquem atentos as normas de transito de lá. Tem algumas regras diferentes, algumas sinalizações são diferentes e tem muito policial à paisana. Fiquem atentos!

Bom, agora sim, a primeira dica é: prefiram hotéis com traslados para os parques porque o estacionamento de cada parque, por dia, é de U$17 (cerca de R$43,00)! Não é nada barato e você não tem a opção de estacionar em algum lugar “perto” e ir andando. Os únicos parques que conseguimos fazer isso foram os da Universal, mas mesmo assim foi 30m de caminhada no calor abafado de Orlando. Os da Disney nem tem calçadas praticamente..

1.2 dica – Placas 

Lá nas gringas eles usam os oito pontos cardiais, ou seja, para nós que não estamos acostumados com isso é beeem complicado andar por lá. Quase não tem placa e retorno, o sistema de velocidade é diferente, é por milhas. Então vá pra lá sabendo que você, se optar por alugar um carro vai passar perrengue. Por isso pegue um mapa de graça no lugar que você alugou o carro (no lugar que alugamos o nosso carro tinha pelo menos).

Outra coisa legal de falar também é que alugar um carro com GPS sai mais caro e ao contrario do que li em vários blogs o GPS não é tão barato assim, fomos em várias lojas de eletrônicos e o mais barato que vimos foi de U$79,99 mais 6,5% de imposto, taxa, sei lá.

Saiba que escolhendo qualquer opção você vai gastar mais em algum lugar; se optar por um hotel que já tenha o translado para os parques provavelmente a diária dele é mais cara e se quiser ir nos shoppings vai ter que pegar um taxi, e o taxi lá é 2,46 por 1/4 de milha, ou seja, é caro! Se alugar um carro saiba que vai ter um gasto a mais caso não consiga usar o GPS do celular ou caso não tenha um mapa (tenha sempre um mapa!) e ainda vai ter que pagar U$17 por cada estacionamento de cada parque. Obvio que aí fica a critério de vocês escolher o que é melhor!

2ª dica – Tomada

Essa dica é bem legal e eu infelizmente não sabia disso quando eu fui pra lá: as tomadas deles são diferentes!

E obviamente você vai precisar de um adaptador e isso é bem fácil de achar porém, o preço em bem variado. Eu comprei o meu na Best Buy e paguei U$10 em um adaptador e no decorrer da viagem vimos em vários lugares mais baratos. Na Target tava U$3,99, em um outlet estava 2 por U$4, então antes de comprar pesquise os preços. E em relação a voltagem foi tudo certo, sou de SP e a voltagem aqui é 110 e os aparelhos funcionaram tranquilamente lá.

3ª dica – Alimentação 

Se você é uma pessoa como eu, que gosta de comer comida, arroz, feijão, carne, salada, fruta se prepare pra passar fome, digamos assim.

Lá só tem fast food e até no mercado é difícil achar comida pra fazer, sabe?! Eles não tem essa cultura de comer, eles priorizam o café da manhã, então existe tudo o que você pode imaginar pra se fazer aquele tipico café da manhã americano mas pro resto das refeições não tem. Comemos o arroz deles e o macarrão e é aquela coisa que dá pro gasto, não é uma maravilha mas dá pra comer.

Existem restaurantes que vendem churrasco e tudo mais mas não tivemos tempo de experimentar. O máximo de “comida” que vimos foi o Outback e o Applebee’s. O que ganha lá é fast food e existe bem mais do que vocês imaginam.

4ª dica – Lojas pra compra

O preço dos outlets é muito bom, não posso negar, mas existem lojas um pouco mais afastadas com um preço bem mais em conta, como por exemplo a Kohl’s.

Os melhores preços lá, pelo o que eu percebi, são as marcas que aqui no Brasil são consideradas “grifes”. Tommy Hilfiger, Guess, Vans, Nike, etc.. E tem muitas promoções do tipo: compre um e leve outro por 50%.

5ª dica – Lanche nos parques

A comida nos parques além de caras são ruins. O que vale a pena fazer é comprar frios e pães no mercado e levar os sanduíches pro parque. Além de você economizar dinheiro você vai economizar tempo porque você não vai precisar parar, procurar um lugar pra comer, pegar a fila, comer e voltar pro brinquedo. Muitas pessoas fazem isso e é super normal. Como lá é muito calor eu aconselho a levar água ou um chá para beber durante o dia, mas se não gostar de ideia e achar que ele vai ficar quente do decorrer do dia (o que vai acontecer) e tudo mais você pode comprar um copo dentro do parque e ai o refil é grátis durante o dia inteiro, não sei como isso funciona exatamente porque não fizemos isso, mas é uma ótima opção.

6ª dica – Fast Pass

O fast pass nada mais é do que um “fura fila”. Nos parques da Universal eles são pagos e nos da Disney não, é só você entrar no site, se cadastrar e você consegue pegar 3 fast pass por vez e quando você acabar de usar os seus três fast pass é só você procurar uma maquininha no parque e pegar mais 3 que estejam disponíveis. Você também pode fazer isso pelo celular, através do aplicativo! Os parques da Disney (não reparei nisso nos parques da Universal) tem wi-fi grátis dentro dos parques.

Mas a dica nesse caso é para os parques de Universal: como os fast pass são pagos a parte e não são baratos, cerca de U$200, fiquem atentos em que época do ano você vai. Por exemplo, agora em Setembro o parque estava vazio, a maior fila que pegamos foi de 20m e quem tinha o fast pass acabava entrando junto com a gente nos brinquedos. Então não compensa compra-lo, entendeu?  Obvio que isso vária de acordo com a época e tudo mais, mas fica a dica!

Bom mundo, as minhas dicas foram essas, espero muito ter ajudado vocês.

Espero que tenho gostado, fiz do mundo do meu ❤ Se ficaram com alguma dúvida é só perguntar (:

Mil beijos e até xx, Dani!

Anúncios